fbpx

Hérnia de disco tem cura?

hérnia de disco tem cura?

A hérnia de disco é um pedaço do disco que vaza do seu local de origem, entre as duas vértebras.

Portanto, o problema é mais uma situação transitória do que permanente.

A maioria das hérnias, 70, 80 ou 90% dos casos,  são reabsorvidas ou tratadas de forma conservadora, lembrando que esse número depende do público que é analisado.

 Mas, o problema são os 10, 20 ou 30% que não melhoram com o tratamento clínico conservador e precisam realizar algum procedimento de intervenção cirúrgica.

Nesse sentido, surgem as técnicas menos invasivas, como por exemplo a cirurgia endoscópica da coluna, que permite remover esse pedaço que vazou do disco, com anestesia local ou sedação. 

Outras vantagens de realizar o procedimento cirúrgico minimamente invasivo são: não há necessidade de internação, o paciente vai para casa no mesmo dia e a recuperação é muito mais rápida do que qualquer outra técnica para tratar a hérnia de disco.

Portanto, uma vez que, o pedaço do disco foi reabsorvido pelo organismo ou foi removido através de uma técnica endoscópica, está resolvido o problema da hérnia. 

O paciente pode voltar a ter hérnia no mesmo lugar? 

Sim. Independente da modalidade que foi realizado o tratamento, clínico conservador ou intervenção cirúrgica, existe um risco de a longo prazo, 3, 4 ou 5% dos pacientes voltarem a sentir algum tipo de sintoma por uma recidiva da hérnia (ter a mesma hérnia novamente).

O principal fator relacionado a esta reincidência da hérnia no mesmo local, é uma possível piora da degeneração do disco.

Portanto, para impedir que esse disco degenere ou gaste ainda mais, deve-se praticar atividade física ou exercício físico. 

Então, independente da forma de tratamento, seja ela clínica, através de um programa de reabilitação ou através do procedimento endoscópico, é importante que esse paciente esteja inserido em algum programa de atividade física, para poder diminuir a chance de ter algum problema no futuro.

Facebook
WhatsApp
E-mail
Imprimir
Posts que podem ser interessantes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *